Metaverso 101: Introdução ao conceito – Ade Advertising

Metaverso 101: Introdução ao conceito

Aug 05, 2022 By (BR) Paloma Costa About Ade

Se você esteve na internet nos últimos meses, deve ter ouvido falar sobre o metaverso e as possibilidades que oferece para o futuro.

O termo não é novo. Embora não significasse o mesmo, foi citado pela primeira vez no livro Snow Crash de Neal Stephenson, há quase 15 anos. De lá para cá, se transformou.

A popularidade veio, principalmente, com o rebranding do Facebook. A marca mudou seu nome e adotou Meta em referência direta ao metaverso. A ideia é interligar as ferramentas que oferece à transformação digital que acontece em uma tentativa (de sucesso) de conectar o termo à marca.

Embora o significado ainda seja incerto e o futuro só possa ser definido pelo tempo e a tecnologia, conseguimos nortear o que é atualmente:

Metaverso: Um conceito incerto

Mesmo que existam controvérsias, sabemos que o metaverso diz respeito a uma rede de mundos virtuais interligados. Ela utiliza realidade aumentada e ambientes virtuais para criar universos novos e completamente “vivíveis”.

Você provavelmente lembrou do Digimundo daquele desenho (incrível) que você assistia na TV Globinho, Digimon. Essa associação é ótima e pode te auxiliar a entender como deverá funcionar.

Lembra que os personagens viajaram para um mundo digital onde encontraram os Digimons? O Digimundo poderia sim fazer parte do metaverso. A grande diferença é que ao invés de trazer os Digimons para a nossa realidade, vamos trazer vivências.

O metaverso oferecerá espaço para experiências novas e que, muitas vezes, são impossíveis na realidade. Não apenas isso, também permitirá que realizemos tarefas à distância, o fortalecimento do networking e a criação de uma nova forma de pensamento, agora muito mais conectado.

O início do futuro

Muitas empresas já embarcaram na ideia e investem nesse universo. A Microsoft, por exemplo, que também busca seu espaço, anunciou a compra da gigante dos jogos, Activision Blizzard, responsável por sucessos como World of Warcraft, Overwatch e Hearthstone. O investimento de mais de 70 milhões de dólares impressiona e marca a chegada da empresa ao metaverso.

Mas este é apenas o início. O próprio Meta direcionou um capital de 50 milhões de dólares em tecnologia para implementação e promete iniciar os testes em até 2 anos. A longo prazo, a empresa deve abrir os universos para público entre 2031 e 2036.

 

Pelo que parece ainda vai demorar para entrarmos de vez nessa tendência. Por enquanto, nos resta questionar se o metaverso trará mudanças para a realidade. E a resposta é clara: Não sabemos!

A crença principal é que de fato trará alterações para setores cotidianos, em especial da saúde e do bem-estar. Entretanto, estabelecer normas e possibilidades no âmbito que estamos é arriscado, pois tudo isso pode mudar rapidamente com o avanço da tecnologia.

Enquanto esperamos nos preparamos para o futuro e contamos com a Ade! para crescer no digital.

(BR) Paloma Costa