Captura de Tela 2015-09-29 às 14.50.06

O termo Marketing Viral foi usado pela primeira vez em 1997, pelo estudante Tim Draper, para relatar uma ação online do Hotmail por meio de um anúncio no rodapé do e-mail.  Para o estudante, a ação de realizar uma comunicação gratuita da empresa/cliente e que gera um crescimento exponencial na base de usuários do serviço é uma definição básica, pois o Marketing Viral é algo mais complexo e engloba muitos outros formatos. O termo ganhou força alguns anos depois, com o desempenho e popularização das redes sociais.

Mas afinal, o que é Marketing Viral?

Basicamente é a viralização de um conteúdo no formato de vídeo, tirinha, desenho, post, etc. É criar um conteúdo, uma promoção ou uma ferramenta de modo que incentive o público – alvo a compartilhar de forma gratuita e é claro ninguém compartilha sabendo que aquele conteúdo futuramente será um viral. Propagação, essa é a palavra – chave!

Por que fazer um Marketing Viral?

– Para baixar o custo de aquisição de novos clientes;

– Aumentar a conversão em vendas ou em geração de contatos (leads);

– Crescer o ativo de marketing (seguidores no Twitter, curtir no Facebook, E-mails de cadastro, assinantes no Blog);

– Aumentar sua relevância para o Google (Link Building).

Existe uma mística em torno desses aspectos e muitos acham que o Marketing Viral se limita a vídeos de cachorrinhos, gatinhos e crianças fazendo alguma coisa engraçada. Será mesmo?

Um exemplo que contradiz a afirmação anterior é o vídeo da campanha “Perdi meu amor na balada”, que retrata um homem que “desabafa” para a câmera e conta que no sábado havia conhecido uma garota chamada Fernanda, por quem se apaixonou, e desde então perdeu o contato com ela.

Acompanhe o vídeo:

Em pouco tempo esse vídeo teve milhares de views e compartilhamentos, porque todo mundo queria ajudar o Daniel a achar sua amada. Foi criado até uma page no Facebook para todos poderem acompanhar essa batalha.

Em um segundo momento um novo vídeo é colocado no ar, relatando como foi o processo para achar a moça e quem ajudou nessa busca.

E quando Daniel encontra Fernanda com o coração explodindo de felicidade aparece que toda essa ação foi para divulgar um lançamento da Nokia. Oi? Como assim? Não era uma história real? Não! Na realidade era uma ação viral da Nokia e que deixou todos antenados. Marketing Viral? Sim! A revelação gerou repercussão negativa e positiva, pois algumas pessoas se sentiram enganadas pela marca.

Existe uma receita pronta para fazer um viral?

Não, mas existem algumas dicas que podem ajudar:

– As pessoas compartilham algo sobre elas mesmas e não sobre você. Para criar algo que espalhe de forma viral pense no que as pessoas costumam compartilhar. Ex: novidades, entretenimento, informação, conhecimento, utilidade.

– Facilite o compartilhamento, insira os botões de twittar, +1, e Curtir em suas postagens e conteúdo. Peça para as pessoas compartilharem! Alguns estudos comprovam que pedir para compartilhar dá um empurrão final em pessoas que já tem a intenção de compartilhar algo.

– Mensura e otimize, meça todas as partes do seu loop viral como se fosse um funil de vendas, identifique pontos de bloqueio, faça testes e pense fluxos alternativos.

– Tenha bom senso e BOA SORTE!